domingo, julho 15, 2007

Porto


A cidade equestre
No rio mergulha
Seus cascos de granito
E sobe
A galope
Encosta arriba

Num salto a prumo
(Lá onde o casario morre)
Upa!
É uma torre

Torre de pedra e nuvem
De pássaros de fogo
De corpo de mulher
Torre de tudo e de quanto
O sonho a palavra o canto
Pode e quer


Luís Veiga Leitão

2 comentários:

hertista disse...

Olá!
Venho agradecer-vos pelas sugestões! Gostei muito! Das duas sugestões! :)*

J.E, mais umas palavras bonitas a esta cidade que outros chamam cinzenta!
Aquela que é a cidade 1ª da Portugal! Que tem gentes tão autenticas!
Obrigado!

:)*

JRP disse...

Agora reparo que escolhemos o mesmo poema em dias tão próximos.
Abraço.