quarta-feira, dezembro 13, 2006

Absurdo matinal

Rua de Cedofeita
Ao fazer a habitual paragem matinal no quiosque para ler os ´escaparates´ dos jornais, deparei-me com o seguinte título no Primeiro de Janeiro: "Comerciantes de Cedofeita propõem cobertura para a rua". Levado pela curiosidade aproximei-me ainda mais do matutino para ler as pequenas: "Comerciantes querem criar um «centro comercial» ao ar livre. A ideia conta com o apoio da associação do sector e do presidente da Câmara do Porto. Mas ainda é preciso contornar as questões jurídicas e arranjar o financiamento." O objectivo, segundo um lojista, é trazer as pessoas à Baixa. Será só mesmo esse o objectivo?! Duvido. Mas se assim fôr, não é necessário transformar uma das ruas pedonais mais importantes do Porto, mesmo esta atravessando uma fase menos boa, num...shopping ao ar livre... E num estudo que chegou a ser promovido pela mesma associação, abordava-se também a possibilidade de cobrir outras zonas pedonais da cidade, como a Rua de Santa Catarina, Santo Ildefonso e cruzamento de Sampaio Bruno com o Bonjardim. Francamente... Façam por trazer mais pessoas à Baixa, mas com ideias igualmente aprazíveis. Deixem-se de shoppings!

3 comentários:

cdousa disse...

Estamos realmente num país de idiotas, entenda-se como um país cheio de ideias! De qualquer maneira temos de ser tolerantes e compreender, pois a IDIOTIA é de facto uma doença reconhecida no domínio da medicina cuja interpretação se refere a uma afecção congénita caracterizada por défice mental muito grave ...
Um idiota até pode ser uma pessoa extremamente inteligente mas não consegue é ter a capacidade de coordenar as suas ideias e penso que o principal problema será mesmo esse. Tendo em conta a conjuntura Económico-Social é, de facto, imperioso descortinar novos conceitos de negócio por forma a acompanhar a evolução e dinamização dos mercados, contudo sei que neste país existem pessoas suficientemente sensatas, coerentes e inteligentes para encontrar soluções mais práticas, menos aberrantes para recuperar o comércio tradicional tal como o Belmiro encontrou forma de o "aninhar".
Já nos basta as aberrações cometidas com algumas alterações à arquitectura da cidade motivadas pelas obras - biscates - do metro do porto.

Anónimo disse...

gosto do stevens, gosto:)

sombra disse...

Não é uma ideia peregrenia; em Coimbra, também houve qeum invocasse disparate semelhante. Não será certamente por causa da chuva que as pessoas se afastam da baixa da cidade. Há já muitas iniciativas em marcha, bem mais interessantes, para dar mais vida ao Porto; exemplo evidente é a nova Rua do Almada. É preciso é que as pessoas apareçam.